Canon EOS R, onde está o meu Multi-controller?

Canon-EOS-R-Square

Como introdução tenho de agradecer à Canon Portugal, a amabilidade com que me emprestou por alguns dias a Canon EOS R e um par de lentes, sem esta ajuda não poderia estar a escrever este artigo.

Canon R
Canon EOS R

A Canon superou a produção de mais de 100 milhões de unidades de câmaras da Série EOS no dia 20 de setembro de 2019. Segundo a marca a câmara com que atingiram o número redondo dos 100 milhões produzidos foi uma EOS R, modelo lançado em outubro de 2018.
Com isto dizer que não começaram ontem, temos de recuar a 1987, quando a série EOS nasceu com a EOS 650, com objetivas intermutáveis (SLR) reflex AF!

Canon R
A Canon EOS R e a sua baioneta RF.

Mas com este artigo quero falar da experiência que tive com a Canon EOS R e nada melhor para experimentar a R do que a levar para um serviço agendado e não ficar apenas no estúdio a testar a máquina sem a azáfama natural de um trabalho para um cliente.
No ínicio de Junho de 2019, no Anantara Vilamoura Algarve Resort, o seu restaurante EMO recebia o chef Paco Roncero, para o EMO Pop Up, (um conjunto de dois jantares nos dias 16 e a 17 de Junho) com as criações deste chef Espanhol que detém 2 Estrellas Michelín e Tres Soles Repsol.

Paco Roncero, durante o serviço no EMO.
Fotografado com a Canon EOS R com a lente RF 85mm f/1.2L USM.

Foi ou não a melhor forma de testar a R que levá-la para esta noite no EMO?

Millennial Olive Tree
Canon EOS R, RF 85mm f/1.2L USM.
Iluminada apenas com um Profoto B1 com a softbox OCF 2’x3′.

Juntamente com o meu equipamento para este serviço seguia também na mala a Canon EOS R, com a lente Canon RF 85mm f/1.2L USM e ainda uma zoom a Canon RF 24-105 f/4L IS USM.
Durante toda a noite apenas utilizei a RF 85mm f/1.2L USM!
– Que grande combinação de lente e máquina.

De referir que praticamente metade das imagens que entreguei ao cliente foram realizadas com a Canon EOS R com a lente Canon RF 85mm f/1.2L USM.
Diz muito do que este conjunto pode dar a um fotografo.
Trabalhei sempre com a luz existente na sala, na cozinha e o uso do flash (Profoto B1) aconteceu apenas quando fotografei os pratos num set preparado para o efeito.

Canon EOS R, RF 85mm f/1.2L USM

Foi muito fácil ter a R entre as mãos a tentar encontrar mais uma fotografia.
Achei o sistema de focagem uma delícia com aquela lente, tendo utilizado na maioria das vezes o AF de 1 ponto.
Foi apenas quando fiz um retrato ao Paco Roncero que utilizei a seleção automática do rosto.

Canon R
Canon EOS R

Esperava um conjunto tão rápido?
– Sim, é o mínimo para quem já conta com mais 30 anos a produzir lentes e corpos com AF.

Canon R
Onde está o meu Multi-controller?

Senti falta sim foi do Multi-controller, aquele pequeno joystick que entre outras coisas utilizo para poder mudar o ponto de focagem!
Ouro sobre azul seria ter recebido antes o smart controller da sua irmã mais velha Canon EOS-1D X Mark III, teria sido a opção correcta.

Ao aproximar a minha cara da máquina o meu nariz fazia sempre o favor de mudar de sítio o ponto de focagem, acabei a desligar essa opção.
Já vai o tempo em que focava e recompunha uma imagem, hoje gosto sim de utilizar o Multi-controller para poder mudar a posição do ponto de focagem.

Espero que o Multi-controller ou o smart controller agora visto na Canon EOS-1D X Mark III possa estar disponível na sucessora da EOS R.

Em forma de conclusão a falta do Multi-controller, foi mesmo aquilo que não gostei na Canon EOS R e mais senti falta.
Não têm um segundo slot para cartões, pois não têm, também podia ter, não entendo o porquê de regrediram com esta opção.

A nova baioneta RF têm ganho lentes renovadas e apetecíveis e isso deixa-me esperançado para uma mudança completa sem recurso a adaptadores.
Mais do que o tamanho das câmaras estou entusiasmado pela renovação da qualidade óptica e das prestações das novas máquinas.
Só peca por tardia esta renovação por parte da Canon nas full-frame.

Espero que em 2020 a Canon possa emendar a mão e apresentar a sucessora da R, com várias alterações que têm vindo a ser reclamadas pela base de utilizadores do sistema EOS.

Uns dias com a Canon PowerShot G5X

Tenho com a série PowerShot da Canon uma ligação sentimental.
A minha primeira câmara digital foi um Canon PowerShot G2, corria o ano de 2001 e fiz com ela dezenas de milhar de fotografias.
As diferenças são enormes com este novo modelo lançado este ano.
A Canon PowerShot G5 X dispõe de 20.2 Megapixel num sensor de 1″ CMOS, com um visor retráctil e sensível ao tacto.

Canon G5X Review

Para quem precisa de um corpo mais ligeiro, gosta de compactas com lentes zoom, esta é uma excelente escolha.
Em termos focais varia entre os 24mm e os 100mm. O sweet spot deste zoom na minha opinião está nos 24mm, foi aí que obtive os meus melhores resultados.
Existe uma função macro na qual podemos fotografar a 50cm do objecto quando levamos o zoom ao máximo.
Em termos de abertura é variável e a 24mm podemos trabalhar a f/1.8 e a 100mm dispor de f/2.8.

Canon G5X Review

Electronic Viewfinder
Das melhores coisas que já foram inventadas nas máquinas fotográficas.
Não se perde tempo a visualizar o resultado obtido e na Canon PowerShot G5X funciona muito bem.
Seria interessante as DSLR da Canon também virem equipadas com esta função.

Canon G5X Review

Gostei de utilizar o botão dedicado à compensação de exposição e o outro para poder alterar a abertura.
A personalização destes botões também enriquece a experiência de utilização desta máquina.
Em termos de ISO, sejam realistas e façam um uso acertado deste equipamento, trata-se de uma camera compacta.
A sapata é um bónus para quem tiver flash externo ou disparadores, com esses vão poder criar fotografias mais criativas.
O flash integrado na máquina dá apenas um ligeiro enchimento.
Curiosidade, podemos registar até 12 rostos nesta máquina.

Canon G5X Review

Wi-Fi
A aplicação e a máquina funcionam lindamente através de Wi-Fi, utilizei o meu iPhone e aquilo que ganhamos em tempo no que toca a partilhar as fotografias que efectuamos com a Canon PowerShot G5X é fantástico.
Para muitas utilizações o portátil pode bem ficar em casa.
Existem ainda mais opções de utilização da funcionalidade Wi-Fi neste equipamento, que enriquecem a utilização do mesmo.

Canon G5X ReviewDoca de recreio de Olhão, crop, ƒ/8.0 8.8mm 1/80 ISO 125

Canon G5X Review Mais um crop, com edição. ƒ/8.0 36.8mm 1/200 ISO 400

Canon G5X Review Novo crop, com edição. ƒ/5.6 36.8mm 1/200 ISO 160

Canon G5X Reviewƒ/2.8 36.8 mm 1/200 ISO 200

Canon G5X ReviewCrop editado. ƒ/2.8 15.6mm 1/320 ISO 125


Canon G5X Review
ƒ/5.0 8.8 mm 1/100 ISO 125

Conclusão

Para quem procura um zoom compacto, discreto, qualidade de construção, visor electrónico, ecrã retráctil esta é uma excelente opção.

Agradecimento

Muito obrigado à Canon Portugal por ter-me disponibilizado este equipamento por alguns dias para a realização deste artigo.

FUJIFILM X-T10 e ZEISS Touit 1.8/32

Se até aqui tinha sempre fotografado com SLR’s, no final de 2015 decidi comprar a pequena FUJIFILM X-T10, para finalmente entrar no mundo XSeries.
Queria uma máquina que fosse discreta, que até conseguisse algum carinho do sujeito fotografado e que não fosse intimidadora.
Sei bem qual é a expressão que fazem algumas pessoas quando têm pela frente uma máquina gigante, preciso de tudo menos dessa reacção.

É isso que me atrai no mundo XSeries, maquinas potentes que não intimidam e não comprometem.

FUJIFILM X-T10 with Zeiss Touit 32mm f/1.8
FUJIFILM X-T10 e ZEISS Touit 1.8/32

Este ainda não é o meu corpo principal, mas para um determinado tipo de fotografia já é a primeira opção.
Posso fazer uma longa caminhada de scouting com a máquina na mão que a mesma não levanta qualquer interesse nem fico com problemas de coluna.

ZEISS Touit 1.8/32
FUJIFILM X-T10 e ZEISS Touit 1.8/32

Electronic Shutter mode

Fantástico pois vai até 1/32000seg e é uma funcionalidade muito conveniente.
O que se poupa na aquisição de um filtro ND e a rapidez com que se consegue uma determinada fotografia, bastando para isso activar esta função não têm preço.

EVF

Completamente viciante!

Wifi

Devido ao trabalho que faço é importante entregar por vezes fotografias rapidamente para documentar uma determinada situação, sem mais acessórios e com o smartphone que todos temos no bolso, estamos a enviar uma fotografia em segundos.

Design Retro

Excelente quebra-gelo e bastante funcional.
Como referi no início, se o formato da câmara colocar o sujeito ainda mais confortável, não só ele fica a ganhar como eu e o meu cliente vamos ficar mais satisfeitos com o resultado.
A vantagem de termos botões rotativos com a velocidade e a compensação da exposição, juntamente com um anel com as aberturas na lente, torna as coisas mais rápidas.
Lamentavelmente neste modelo não dispomos de botão próprio do ISO no topo do corpo.

ZEISS Touit 1.8/32

Porquê?
Dirão alguns, muito simples, queria um registo diferente para esta focal.
Estou bastante satisfeito com os resultados, o silêncio e a precisão desta lente é impecável.

Corpo e lentes

O corpo de pequenas dimensões não só a torna discreta como é leve.
Não vejo a hora para ter um kit completo para poder viajar e trabalhar com muito menos peso no meu saco preferido.
Após cinco anos as lentes XF da XSeries já vão dos 10mm aos 400mm.

Agora aguardo para poder testar a nova X-Pro2.